• menu1
19/09/2018 16h28 - Atualizado em 19/09/2018 16h28
APOIO FADESP: Orquestra de Violoncelistas da Amazônia e Mariza Black, no hall da reitoria.
Da Redação
Portal FADESP
A-A+ Tamanho da Letra
Ampliar imagem
APOIO FADESP: Orquestra de Violoncelistas da Amazônia e Mariza Black, no hall da reitoria.
Ampliar imagem
Ampliar imagem
Ampliar imagem
Ampliar imagem
Ampliar imagem

Durante dois dias, o hall da reitoria da UFPA se transformou em palco para a apresentação do rock and roll e samba produzidos no Pará. Hoje foi a vez da cantora Mariza Black interpretar sambas como "Senhora das Águas". Nesta quinta-feira tem a Orquestra de Violoncelistas da Amazônia (OVA) interpretando rock and roll como "Planeta dos Macados", da banda Delinquentes.

As apresentações fazem parte do projeto "O Rock Roll e o Samba do Pará – Levantamento e registro de compositores paraenses" apoiado pela FADESP e coordenado pelo professor Áureo de Freitas, Ph.D. em Educação Musical e coordenador do Programa Cordas da Amazônia. O objetivo é valorizar a produção musical regional.

Nesta quinta-feira, 20, às 11h30, o OVA apresenta os arranjos em cordas para rock de bandas que fizeram história no Pará. Além de Delinquentes, a seleção musical tem Never Surrender (Banda Mitra), Giant (Banda Soledad), The March (Banda Rhegia) e Coração de Metal (Banda Stress).

As interpretações serão reunidas em dois CD que já tiveram o pré-lançamento realizado nos dias 16 e 17 de agosto, na Escola de Música da UFPA (EMUFPA). O do OVA terá 10 faixas e o de Mariza Black terá 12. Todas são composições de artistas paraenses, preferencialmente inéditas.

As composições escolhidas para os CD foram catalogadas a partir de pesquisa de composições, interpretes e bandas do Pará, do gênero musical Rock and Roll e Samba. Em seguida, elas ganharam os arranjos executados pelo OVA e pela Mariza Black.

Samba - Sambista com quinze anos de carreira e outros trabalhos de popularização do samba como o projeto "Samba no Pará", a cantora Mariza Black conta que o Estado tem forte produção desse estilo musical e diante disso, um dos critérios para fazer a seleção das músicas foi diversificar. Assim, foram escolhidos temas que variam do romance ao político.

Também foram selecionadas composições antigas e recentes, com algumas inéditas. Entre os compositores paraenses historicamente consagrados está Tonhinho Nascimento que compôs sambas como Conto de Areia, imortalizado na voz de Clara Nunes.

A catalogação, o registro em CD e a divulgação através de agenda de shows na UFPA e em duas escolas do município de Ananindeua fazem parte da estratégia montada pelo coordenador do projeto de extensão para incentivar a valorização e o reconhecimento da qualidade da produção musical local no Estado.

Popularização - Outras estratégias já vêm sendo experimentadas pelo próprio OVA através de turnês voltadas à popularização do Metal Sinfônico. Em 2015, os jovens músicos formados por alunos da Escola de Música e Curso de Licenciatura Plena em Música, ambas subunidades do Instituto de Ciências da Arte da UFPA, se apresentaram na Suíça e França. Em 2016, foram para Palmas, Brasília e Estados Unidos. E em 2017, retornaram à Suíça.

A própria EMUFPA realizou em 2015 e 2016, o "Programa de Extensão Violoncelo Popular: Interdisciplinariedade e Inovação de Linguagem" que qualificou adolescentes e adultos a interpretarem estilos musicais diversos como o clássico, o popular e o rock.

Visando dar prosseguimento, em 2016, o Programa de Pós-Graduação em Artes da UFPA aprovou o primeiro projeto de extensão na área de música, com o apoio de Emenda Parlamentar.

"Veio daí a ideia de se fazer o registro e impulsionar o ambiente acadêmico, com um viés popular e de muita qualidade, na produção voltada a musica local", justifica o coordenador do projeto, professor Áureo de Freitas.