• menu1
27/12/2016 14h10 - Atualizado em 27/12/2016 14h10
Apoiado pela FADESP, Projovem Urbano Belém forma 1,8 mil no ensino Fundamental.
Da Redação
Portal FADESP
A-A+ Tamanho da Letra
Ampliar imagem
Apoiado pela FADESP, Projovem Urbano Belém forma 1,8 mil no ensino Fundamental.
Ampliar imagem
Ampliar imagem
Ampliar imagem
Ampliar imagem
Ampliar imagem
Ampliar imagem
Ampliar imagem
Ampliar imagem

Cerca de 1,8 mil alunos do Projovem Urbano Belém concluíram o Ensino Fundamental este ano. A cerimônia teve beca e muitas histórias de superação de quem retornou à escola já na vida adulta. A Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (FADESP) é parceira do programa junto com a prefeitura de Belém e o governo federal.

A cerimônia de entrega dos certificados foi realizada no auditório Benedito Nunes, da Universidade Federal do Pará (UFPA), no dia 21 de dezembro. No total, exatos 1.083 estudantes concluíram essa etapa do ensino básico.

O diretor da FADESP, professor Sinfronio Brito, destacou a importância do programa e parabenizou os participantes pela superação. Para muitos, foi preciso conciliar os estudos com o trabalho e a criação de filhos.

O público alvo do programa é formado por jovens que abandonaram os estudos por causa da gravidez, do trabalho, de problemas familiares e outros percalços. Para alguns, como Lílian Daniele Monteiro, foi preciso buscar a motivação que nunca teve de familiares, nem de amigos.

Hoje com 30 anos, Daniele ficou 14 anos longe da escola. "Quando comecei, diziam você vai voltar pra escola? Já tem 30 anos...Hoje, tô aqui porque quis e os educadores davam conselhos maravilhosos na sala", comentou.

O casal Carlos Júnior Furtado dos Santos, 23 anos, e Rosângela Cristina Silva de Sousa, 19, também precisaram driblar as dificuldades para cursar os 18 meses de aula. Ele trabalha vendendo lanche e, há três meses os dois se tornaram pais de Carlos Richard.

"Minha gravidez não foi planejada. Tiive muito medo de ter que parar novamente de estudar, mas decidimos nos apoiar um no outro. Contamos também com o incentivo da família e dos professores e, agora, podemos comemorar essa vitória e dedicá-la ao nosso filho, que hoje é nossa maior motivação para sempre buscar algo melhor", contou Rosângela.

Para manter esses jovens na sala de aula, o programa segue formato que alia aulas teóricas, práticas e treinamentos voltados à inserção no mercado de trabalho. Uma bolsa também serve de incentivo financeiro.

A coordenadora do Projovem Urbano Belém, Thalita Carvalho, e a diretora de Educação da Secretaria Municipal de Educação (Semec), Socorro Aquino, reforçaram que a conclusão também deve ser encarada como incentivo à continuidade do ensino.

*Com informações e foto da Ascom / Semec