• menu1
16/11/2015 14h11 - Atualizado em 16/11/2015 14h11
Seminário abre espaço para novas perspectivas de pesquisas, financiamentos e cooperação com Noruega
Da Redação
Portal FADESP
A-A+ Tamanho da Letra
Ampliar imagem
Seminário abre espaço para novas perspectivas de pesquisas, financiamentos e cooperação com Noruega

O Museu Paraense Emílio Goeldi sedia, na quarta-feira, 18, o seminário internacional "Pesquisas em Mudanças Climáticas e Biodiversidade na Amazônia - Novas perspectivas". Ele acontecerá no Parque Zoobotânico do MPEG, em Belém e será o primeiro evento promovido pelo consórcio de Pesquisa sobre Biodiversidade Brasil-Noruega (BRC).

Dividido em seções temáticas, o evento traça um panorama dos novos horizontes e conhecimentos construídos no âmbito dessa parceria internacional. A programação também vai abrir espaço para perspectivas de novas pesquisas, cooperações bilaterais e oportunidades de financiamento nos assuntos de mudanças climáticas e biodiversidade amazônica.

Assinado em 2013, o BRC tem conduzido estudos e monitoramentos para a preservação da biodiversidade na Amazônia. O seminário dessa quarta-feira, 18, vai apresentar os avanços feitos nesse campo nos últimos dois anos. Estarão presentes pesquisadores noruegueses e brasileiros que participam do BRC, instituições convidadas e representações oficiais dos dois países.

Além do Museu Goeldi, o Consórcio é formado pela Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), pela Universidade Federal do Pará (UFPA), pela Universidade de Oslo (UiO) e pela mineradora norueguesa Norsk Hydro.

União pela biodiversidade – As pesquisas do consórcio estão concentradas no Pará, o segundo Estado da Amazônia Brasileira em extensão. É nesse território que os membros do BRC desenvolvem análises sobre as mudanças climáticas, distribuição de espécies animais e vegetais, uso da terra e conservação ambiental. Todos estes temas conjugam para atender o principal objetivo das pesquisas do consórcio que é a produção de conhecimento para dar suporte a restauração da floresta amazônica.

De Paragominas, terra da mina de bauxita da Hydro, à diversas regiões paraenses, o consórcio tem executado diversas pesquisas. O foco geral delas é gerar informações sobre biodiversidade e clima, e monitorar ecossistemas nativos para conservação e a recuperação de áreas florestais já alteradas, como aquelas exploradas pela extração de minérios.

Príncipe da Noruega - Em visita ao Brasil, Haakon, herdeiro da Coroa Norueguesa, virá a Belém para acompanhar o seminário "Pesquisas em Mudanças Climáticas e Biodiversidade na Amazônia - Novas perspectivas, quando fará uma visita ao Parque Zoobotânico do Museu Goeldi.

Na ocasião da visita do príncipe a Belém também um convênio será assinado entre o Conselho de Pesquisa Norueguês e o Governo do Estado do Pará, visando beneficiar a cooperação e tecnologia.

A Noruega é um dos principais parceiros do Brasil na preservação ambiental. O país nórdico é o maior contribuinte do Fundo da Amazônia, desde a sua criação em 2008, com a doação de 1 bilhão de dólares para ações de combate ao desmatamento. E novos investimentos devem ser anunciados durante a Conferência do Clima de Paris (COP 21), no final do ano, em Paris.

........................................

Dia: 18 de novembro de 2015

Hora: de 08h às 17h

Local: Auditório Alexandre Rodrigues Ferreira, no Parque Zoobotânico do Museu Paraense Emílio Goeldi (Av. Nazaré, 376, Belém.PA)

Participantes: Pesquisadores brasileiros e noruegueses, representantes dos governos dos países e imprensa

- O evento será conduzido na língua inglesa (com tradução simultânea para o Português).

Texto: Reprodução da Agência Museu Goeldi.