• menu1
05/11/2015 10h50 - Atualizado em 05/11/2015 10h50
Grupo “FormAÇÃO de Professores de Ciências” da UFPA terá cooperação com Universidade do Porto (PT)
Da Redação
Portal FADESP
A-A+ Tamanho da Letra
Ampliar imagem
Coord. do projeto profº Dr. João Malheiro
Ampliar imagem
Aulas no Campi de Castanhal do Clube de Ciências
Ampliar imagem
Grupo “FormAÇÃO de Professores de Ciências” da UFPA terá cooperação com Universidade do Porto (PT)

O projeto do Grupo de Estudo, Pesquisa e Extensão "FormAÇÃO de Professores de Ciências" do Campus de Castanhal da UFPA foi um dos apoiados na edição deste ano do Programa de Apoio à Cooperação Internacional (PACI), uma parceria entre Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesp) e Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp).

O projeto prevê uma cooperação acadêmica entre o Grupo FormAÇÃO, coordenado pelo prof. Dr. João Malheiro, e o Centro de Investigação e Intervenção Educativa da Universidade do Porto (Portugal), coordenado pelas professoras doutoras Preciosa Fernandes e Ana Mouraz, de um estudo sobre as experiências realizadas no "Clube de Ciências" criado pelo grupo FormAÇÃO no município de Castanhal, e o "Observatório de Vida nas Escolas" da Universidade do Porto (Portugal).

A cooperação acadêmica vai permitir que as professoras portuguesas venham ao Pará socializar as suas experiências no "Observatório de Vida nas Escolas" na Universidade do Porto (Portugal) - projeto semelhante ao Clube de Ciências - entre os dias 09 e 12 de novembro.

A primeira palestra "Metodologias de Investigação e saberes essenciais ao exercício de ser professor" será realizada no dia 09, no Programa de Pós- Graduação em Educação em Ciências e Matemática da UFPA, em Belém. E a segunda, ocorrerá no dia 12 deste mês, ás 15h, no Campus da UFPA em Castanhal durante a XVIII Jornada de Extensão da UFPA e II Jornada de Extensão descentralizada.

O coordenador do grupo "FormAÇÃO de Professores de Ciências", João Malheiro, afirma que foi uma grata satisfação ter o projeto aprovado no PACI 2015. "Porque a gente quer desenvolver estudos de pesquisa e extensão, mas precisa dessa ajuda para que nossas pesquisas que serão realizadas em conjunto possam ter viabilidade, não só no Brasil, mas também em Portugal".

Ele disse ainda que com a conclusão do projeto, será possível submetê-lo a editais de fomento, e desta forma intensificar a produção científica do grupo em parceria com os pesquisadores portugueses.

Clube de Ciências - desde quando foi criado, no dia 19 de setembro deste ano, o Clube de Ciências "Prof. Dr. Cristovam W. P. Diniz" ajuda adolescentes do município, na faixa etária de 10 a 13 anos, a compreenderem o conhecimento científico a partir de experimentos, aparentemente simples. Um exemplo é o processo científico da imersão e emersão de um submarino. Utilizando materiais alternativos, como balde, água, garrafa pet e mangueira, os alunos são levados a refletir todo o mecanismo do funcionamento de um submarino.

O Clube foi criado com objetivo de implementar um ambiente alternativo de ensino de Ciências e Matemática, em prol da popularização da Ciência, da iniciação científica infanto-juvenil, e da formação inicial e continuada de professores de Ciências e Matemática. As atividades ocorrem aos sábados no Campus Castanhal e reúnem cerca de 75 crianças da 5ª, 6ª e 7ª séries do ensino fundamental de escolas públicas.

Ele aota uma proposta pedagógica construtivista e interdisciplinar de ensino e formação docente ao apresentar novos paradigmas de ensino para Educação em Ciências e Matemática fazendo uso de Metodologias Ativas de Aprendizagem como a Investigação Experimental, a Aprendizagem Baseada em Problemas e a Problematização.

Com os experimentos investigativos, segundo o prof. Malheiro, os alunos partem do conhecimento do senso comum, até chegar ao conhecimento científico. "A forma como os alunos constroem esses conhecimentos, partindo do conhecimento que já possuem, até a construção do conhecimento científico é que será o foco das pesquisas do nosso grupo em parceria com o grupo português", afirma o professor.

Fundação - Grupo de Estudo, Pesquisa e Extensão "FormAÇÃO de Professores de Ciências", foi criado em 2010 quando o professor Dr. João Malheiro iniciou sua carreira docente como professor efetivo no Campus da UFPA em Castanhal. A ideia inicial, segundo ele, era que fosse criado um espaço onde as pesquisas mais recentes na era da Educação em Ciências, pudessem ser discutidas de forma mais efetiva com alunos das diversas licenciaturas, bem como os professores de Ciências do município de Castanhal.

Com menos de um ano de atuação, o grupo sentiu a necessidade de levar esse conhecimento de forma mais efetiva aos professores da rede pública do município de Castanhal e Região. Foi quando realizaram ciclos de palestras e seminários sobre o ensino de Ciências, Matemática e na área ambiental a estudantes, professores e alunos da graduação e pós-graduação.

Assim, os pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática da UFPA, ao concluírem suas pesquisas de mestrado e doutorado faziam o convite ao grupo de FormAÇÃO para que pudessem socializar seus estudos com a comunidade acadêmica de Castanhal.

Entre os eventos promovidos pelo grupo atualmente, está o Curso de Férias, que entra na sua 25ª edição e será realizado entre os dias 11 e 22 de janeiro de 2016 no município de Mãe do Rio (PA). Esse evento contará com o apoio da Prefeitura Municipal de Mãe do Rio, através da Secretaria de Educação. O Curso, é uma parceria com o Laboratório de Neurodegeneração e Infecção do Hospital João de Barros Barreto, sob a coordenação do prof. Dr. Cristovam W. P. Diniz.

Os resultados positivos do grupo também podem ser mensurados no número de projetos de mestrado e doutorado aprovados. O professor Malheiro, por exemplo, terá os seus dois primeiros orientandos de doutorado. "O grupo partiu rapidamente do estudo à extensão e hoje já atua na pesquisa", afirma ele.

Benefícios – o grupo trouxe diversos benefícios à produção científica na Amazônia, entre eles, a aprovação do projeto no Observatório de Educação do Ministério da Educação, em 2014. Naquele ano, somente três projetos no Norte foram aprovados, um deles o do grupo de "FormAÇÃO de Professores de Ciências".

Outro benefício foi o aumento da produção científica na região. A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal (CAPES) do Ministério da Educação recebe em média um projeto por ano, encaminhado pelo grupo. E há ainda a presença constante dos pesquisadores do FormAÇÃO em eventos científicos, como o Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências (ENPEC), realizado este mês terá oito artigos aprovados, só de membros do grupo.

Com isso, o grupo de "FormAÇÃO de Professores de Ciências" tem se voltado atualmente a publicar seus artigos em revistas científicas e a ampliar suas ações na área de extensão, socializando os resultados das pesquisas com os professores da Educação Básica, afim de melhorar as aulas e torná-las mais atrativas para o aluno.

Escola de Formação de Pesquisadores em Educação em Ciências – outra ação do grupo foi implantar escolas de formação de pesquisadores. A ação começou no próprio município de Castanhal e em dois anos, já se estendeu à Bragança e Capanema.

A implantação das escolas, segundo Malheiro, foi uma necessidade que surgiu no Campus de Castanhal, de mostrar ao professor como fazer uma pesquisa científica na área da Educação em Ciências e, posteriormente, como criar estratégias para planejar uma aula de forma prática a partir de experimentos científicos, cujos resultados (aprendizado) o próprio aluno vai descobrir.

Ela é basicamente direcionada a professores e alunos de graduação, e atua na orientação desde a elaboração do TCC até a produção de uma problematização de pesquisa e de referencial teórico, por exemplo. Mostrando aos professores que as dificuldades que eles têm em sala de aula podem se transformar em pesquisa científica.

Serviço - os campis da UFPA no interior do Estado que tiverem interesse em ter a Escola de Formação podem entrar em contato com o prof. João Malheiro pelo email joaomalheiro@ufpa.br. O grupo também mantém uma página no facebook