• menu1
16/01/2015 18h7 - Atualizado em 16/01/2015 18h7
Evento apoiado pelo PAEV discute a busca de evidências para orientar tratamentos odontológicos.
Da Redação
Portal FADESP
A-A+ Tamanho da Letra
Ampliar imagem
Evento apoiado pelo PAEV discute a busca de evidências para orientar tratamentos odontológicos.

Cerca de 1,5 mil estudos clínicos são publicados anualmente em cada uma das áreas da odontologia e uma amostra deles foi analisada, ontem, no XXI Encontro do Grupo Brasileiro de Professores de Dentística que está sendo realizado em Belém, até amanhã, com o apoio da FADESP através do PAEV.

A estimativa de estudos foi apresentada pelo professor Rodrigo Rego (Universidade Federal do Ceará/UFCE), doutor em Periodontia, um dos palestrantes, ao falar sobre a importância da dentística (ramo que atua nas áreas de restauração e cosmética) baseada em evidências.

O professor advertiu que, diante de tantos estudos, é preciso filtrar aqueles que devem ser considerados para a adoção dos melhores tratamentos dentários. Numa escala, os que se utilizam do Ensaio Clínico Randomizado seriam os mais completos.

Outro palestrante, o professor Alessandro Loguercio (UEPG), doutor em materiais dentários, defendeu que grande parte do que é feito em odontologia e outras áreas da saúde é baseada em evidências (informações confirmadas por análises) muito frágeis.

Ambos apresentaram casos de estudos clínicos primários realizados na odontologia que se sustentaram ou não após análise baseada em evidências. É o caso, por exemplo, da interferência do café no escurecimento dos dentes.

Outro caso é da influência da gengivite nos partos prematuros. Ao se analisar grávidas que tinham o problema, sendo que parte foi submetida a tratamento e outra não, concluiu-se que os partos prematuros não cessaram em nenhum dos grupos.

Loguercio acredita que os ensaios clínicos aleatorizados (são selecionados grupos sem a definição prévia das características deles) cegos (o aplicador dos testes não sabe pra que é o teste) apresentam os melhores resultados porque evitam possíveis influências.

O professor revelou que essas questões são recentes porque a dentística baseada em evidências ainda é recente no Brasil. "O movimento começou há cerca de 25 anos", disse.
Presente ao evento, o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Federal do Pará (UFPA), Emmanuel Tourinho, defendeu que a graduação se aproxime cada vez mais da pesquisa. "Que a pesquisa não seja apenas um adicional, mas a essência do currículo", disse.

A UFPA é uma das apoiadoras do encontro coordenador pelo professor Armando Chermont. A programação continua até amanhã, no hotel Radisson, localizado na avenida Brás de Aguiar.
Ainda amanhã, será realizada a premiação dos melhores trabalhos apresentados nas categorias "Casos clínicos", "Ensino", "Iniciação Científica" e "Pesquisa Científica". Será também instituído o "Prêmio Excelência GBPD Prof. Rogério de Campos Corrêa" para o melhor dentre todas as categorias.

Eventos apoiados pelo PAEV.

Na Galeria de Imagens de nosso site, é possível conferir alguns dos momentos desse e de outros eventos apoiados pelo PAEV, programa desenvolvido pela FADESP em conjunto com a PROPESP/UFPA, que oferece a cobertura de despesas com aquisição de passagens aéreas nacionais, material de consumo e contratação de serviço terceirizado de pessoa jurídica em apoio a eventos locais, regionais e internacionais.

Na Página de Eventos, estão alguns dos eventos (com respectivos link para sites e programações) contemplados pelo PAEV neste segundo semestre de 2014.